Foto de um por-do-sol na praia

Queria escrever algumas coisas,
mas não consigo
Meu horóscopo disse que teria
problemas com criatividade e amor

Não sei se é por isso
ou por estar lidando com tantas coisas simultaneamente
Casa, cachorros, cigarras enormes invadindo a sala
Baratas no banheiro

Um (milk?)Shakespeare de flocos, por favor
Faça você mesma!
Pedindo conselhos a Julieta como se ela tivesse sido
bem sucedida no amor

Bob Marley diz que cada coisinha vai ficar bem
Vou fingir que acredito
Dar umas risadinhas relendo umas conversinhas

Voltar pra vida real
e ser (ou não ser?) eu mesma
Entre o bem e o mal

____________________

Peço desculpaaaas por todos os trocadilhos infames nesse poeminha tolo da madrugada que foi espremido das profundezas do meu cérebro e eu vou publicar sim, mas só alguns dias depois de ser escrito pra eu sofrer de auto-cringe sozinha.

2 Comentários

  1. liberte sua mente do monstrinho que diz que ser cringe é ruim e abrace esse lado 👁️

    ResponderExcluir
  2. oi, uaba.

    sinceramente esse é o e-mail mais louco que eu já pensei em escrever, mas resolvi insistir pois existe uma coisa muito saudosista em mim que me deixou com vontade de interagir dessa forma, mandando um e-mail. isso ilustra bem como eu sinto falta de tempos mais simples.

    bem, você não me conhece, a gente quase não interagiu, mas te escrevi uma vez dizendo que o modo como você compartilhava a sua quarentena, as fotos de dogs, a vida com o consagrado, de grande ajuda para pensar em dias melhores.

    além disso você me enviou um convite do bluesky. em algum momento interagimos um pouquinho por lá também - uma vez vi uma garota lá falando que você sumiu e que deixou saudade.

    nunca tive muita intenção de me aproximar, mas sempre te vi como um conceito muito bacana a ser seguido. não sei exatamente quantos, mas você tem alguns anos mais que eu, uma vida confortável, um amor bacana e sempre pareceu muito você mesma. a vida online engana muito, a gente só mostra o que quer e o outro lado idealiza a medida que consegue, também somos de regiões diferentes do brasil, mas até mesmo seu jeito (que eu julgava discreto) de se expor, aliado as músicas indie e alguns sentimentos aflorados sempre me fizeram pensar “talvez eu devesse ser mais assim, talvez isso me levaria a conquistar coisas como essa”.

    com um leve toque da sua influência e muito toque da influência da terapia eu me sinto muito mais eu hoje. ao mesmo tempo que me vejo com dilemas parecidos com os que você passou, de acordo com seus textos. me incomodo com o tempo e forma que passo online e venho desesperadamente tentando mudar isso como se a vida online fosse um veneno e no dilema de que ao mesmo tempo essa vida online parece um grande validador de relações.

    mas na real eu cheguei até aqui por outro motivo: sempre gostei como você usou a referência a space oddity por todo tempo em todo lugar online em que esteve. ao ponto de lembrar sempre quando escuto essa música. isso me levou a dar esse nome pra uma playlist minha com essa música, posteriormente mudar muito a playlist ao ponto de não fazer sentido manter a música. agora, ela é uma playlist pra pessoa que eu considero o amor da minha vida, mas que é um amor tão confuso que o nome não parece desajeitado.

    só após tudo isso me questionei se você tinha tirado isso de algum lugar e foi uma boa surpresa ver que não. ainda assim, percebi que não sei exatamente o que essa frase significa pra ti e que era justo perguntar já que eu usei ela pra algo tão pessoal quanto o amor.

    não sei se você pode compartilhar, mas espero que possa. do mais, gostei de alguns textos que li e espero do fundo do coração que isso não seja a coisa mais bizarra que você já leu na vida. é um pouco estranho se abrir tanto para alguém que eu não tenho tanta certeza nem do nome.

    abs, matheus

    (era p ser um e-mail, mas não consegui enviar)

    ResponderExcluir

Leave a comment